Uma revista que nasce

A Libertinagem é descaradamente inspirada no livro do Manuel Bandeira e busca trazer o espírito do livro para seu perfil. Mas os tempos mudaram um pouco nesses 87 anos desde o lançamento do livro. E isso se reflete em alguma modernidade nos temas aqui abordados. As formas clássicas foram definitivamente abandonadas. O conto curto tomou a frente das produções. O erotismo está em nosso sangue, apesar dos anos conservadores em que vivemos.

Esta primeira edição é resultado de muitas parcerias, colaboração e generosidade de todos que se prontificaram a nos ajudar, seja com um conto, um poema, uma ilustração, ou aquela palavra de incentivo nas horas certeiras.

O destaque fica por conta do resgate de um marco na poesia erótica brasileira. Jamyle Rkain nos traz a história de Gilka Machado e toda a dificuldade que ela enfrentou para ter a sua arte aceita em um Brasil extremamente machista. E que, apesar de todo o seu esforço pessoal e de seus mais de 12 livros publicados, ainda permanece praticamente desconhecida entre nós.

Nesta edição, temos contos e poemas de autores com livros publicados, alguns com uma produção significativa. Mas temos também autores inéditos, que um dia poderão se lembrar que estrearam aqui na Libertinagem. Só isso, já nos enche de orgulho.

E o mais interessante é que já temos sugestões, ideias e colaborações para uma próxima edição. Sinal de que coisas novas vêm por aí.

Aproveite a primeira edição e nos aguarde. Se ficarem à vontade, fiquem com a gente.

Desejamos uma excelente leitura!

Os editores