Baião de dois | Cigar

Baião de dois

por Seirabeira

Cotovelos esticados
acima do prato.
Nem ligou para cabelo e osso;
devorou com gosto
ao meio-dia:
só com óleo, sem farinha.

***

 

Cigar

por Seirabeira

Planta do pé
arrima a borda dura
com a sola de olhos para cima
rente à linha da bunda.
Joelho de renda aguenta,
verga, deita a cabeça
até a boca rezar, cheia, na altura da cintura.
Da nuca ao pé da espinha,
osso em atrito vermelho
afina sibilos sobre os meniscos
no suor de roer os poros, entre dentes,
frenéticos ruídos.
Um corpo inteiro defumado
no quarto aceso do homem
insaciável, na cadeira,
com seu fumo de charuto.